HUMT

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO FEDERAL DE MATO GROSSO  

LOCALIZAÇÃO: Rodovia Palimiro Paes de Barros (Mt-040), Km12 - Distrito Nova Esperança Cuiabá-MT - Campus II - UFMT

ÁREA DO TERRENO: 1,2 milhão m²

ÁREA CONSTRUÍDA: 58.371 m²

INÍCIO DA OBRA: Outubro /2021

PREVISÃO DE CONCLUSÃO: 36 meses 

 

ARQUITETURA:  PROJETO H  ARQUITETURA 

AUTORES:

Thomé de M. Raposo Júnior       

Michelle Gavanski 

 

EQUIPE TÉCNICA DE PROJETO:

Karolyne Ximenes

Carolina Sarkis

Anny Caroline Pedraça

Luciana Farias 

 

CONSÓRCIO: Jota Ele–MBM 

ENGENHARIA: MBM Engenharia

ESTRUTURAL: SECOPE Engenharia 

 

CONSTRUÇÃO: Construtora Jota Ele (JL) 

 

CLIENTE: GOVERNO DE ESTADO DO MATO GROSSO E UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO  

IMAGENS: Karolyne Ximenes

A construção do novo Hospital da Universidade Federal de Mato Grosso (HUFMT) é uma ação conjunta do Governo de Estado de Mato Grosso e da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Possuirá 58.371 m² de área física, e será construído à margem da Rodovia MT 040, em terreno com aproximadamente 1,2 milhões de metros quadrados.

Após os projetos dos Hospitais Universitários (HU) do Amazonas e do Acre, este é o nosso terceiro e maior projeto de Hospital Universitário Federal. Trabalho desafiador, intenso e complexo realizado em 9 meses. Planejar um HU torna-se ainda mais desafiante quando se deve projetá-lo sobre uma malha  de fundações e edificações parcialmente construídas, por uma obra paralisada e abandonada há anos.

O Estado de Mato Grosso, em parceria com a UFMT, escolheu o Regime Diferenciado de Contratação Integrada (RDCI), para retomada da construção. Neste regime, o custo da obra é definido antes da elaboração dos projetos executivos de arquitetura e engenharia. Dentro desta realidade, desenvolver um projeto de arquitetura em um processo de RDCI, estabelece, através do investimento previamente definido, limites para as proposições arquitetônicas.

Contudo, a Construtora Jotaele (JL) na medida do possível, e da limitação orçamentária, nos deu autonomia para propor um novo e moderno projeto para o HUFMT.

Nas imagens do Hospital Universitário, poderão ser observados os 3 Jardins Terapêuticos, fruto da liberdade oferecida pela Construtora, e muito bem aceitos pelo Governo de Mato Grosso e UFMT.

Os Jardins Terapêuticos têm por objetivo criar estímulos positivos (bem-estar psicológico e físico), através da percepção sensorial de cada paciente (e demais usuários), para manutenção, promoção ou recuperação de sua saúde.  Esse fenômeno ocorre quando pacientes internados e afastados há algum tempo de suas realidades, reencontram em um ambiente que lhes é familiar, neste caso o jardim, a conexão com suas próprias vidas ou com a vida que desejam fora do hospital. O jardim, desta forma, promoverá estímulos psicológicos e fisiológicos benéficos que, consequentemente, ajudarão no processo de sua recuperação.

Os benefícios oferecidos pelos jardins terapêuticos também serão estendidos aos funcionários, pois não podemos esquecer que o nível de estresse entre os profissionais de saúde aumenta à medida que são mais requisitados ou que são expostos às frustrações diárias de suas responsabilidades assistenciais.

Os jardins estarão posicionados em três locais do Hospital: Centro de Terapia Intensiva (UTIs de adultos, infantil e neonatal), prédio da hotelaria e jardim do grande átrio, que é também o eixo de circulação que corta longitudinalmente o hospital.

O átrio permitirá a entrada de luz e ventilação naturais, e além de abrigar o jardim em seu pavimento superior, será responsável pela interligação dos vários blocos do complexo hospitalar. Implantado na direção norte-sul, ligará o Bloco da Hotelaria, ao norte, com o Bloco do Ambulatório, e demais serviços, localizados ao sul do hospital.

O Bloco da Hotelaria (14.159,72 m²) abrigará 224 pacientes em apartamentos ou enfermarias distribuídos em 4 pavimentos de internação. No pavimento 01, responsável pela internação pediátrica, encontramos o primeiro jardim terapêutico reservado para uso dos pacientes infantis. Através de passarela aérea, no mesmo pavimento, encontramos a interligação com o Bloco Central onde chegamos ao grande átrio, local do segundo jardim terapêutico, este reservado para pacientes adultos do BH. 

O pavimento térreo do BH, por sua vez, abrigará o Serviço de Nutrição e Dietética (inclusive produção de nutrição enteral), o Refeitório (geral), o Banco de Leite Humano, o Lactário, e o Serviço de Processamento de Roupas. Externamente e à frente do BH haverá uma grande via de acesso coberta, que permitirá acesso também ao Bloco Central.

O Bloco Central (23.381.48 m²) será a maior edificação do Hospital Universitário. Abrigará os prontos atendimentos, serviços terapêuticos, diagnósticos e o Centro de Simulação Profissional.

Neste Bloco, além dos prontos atendimentos (obstétrico, adultos e pediátrico) e do Centro de Simulação Profissional no pavimento térreo, foram implantados o Banco de Sangue, os Serviços de Patologia Clínica, Quimioterapia, Radiologia (incluindo hemodinâmica), Imagenologia, Diagnósticos por Métodos Gráficos e Farmácia.

O Centro de Simulação Profissional possuirá salas de treinamentos que reproduzirão o ambiente físico assistencial (consultório, enfermaria, uti, centro cirúrgico, e outros) e suas instalações, com o objetivo de simular as atividades e práticas profissionais a alunos, para desenvolvimento de habilidades motoras, psicológicas, cognitivas e decisórias.  

Ainda no pavimento térreo, será instalado o Centro de Controle Operacional do HU. Esse Centro será responsável pelo monitoramento de todos os sistemas de fornecimento de insumos (energia, água, gases, combustíveis), controle de acessos e de presença, de câmeras de vigilância, de alarmes de segurança, de equipamentos prediais (ar-condicionado, geradores de energia, nobreaks, elevadores). Neste local será instalado também a sala cofre para abrigo dos servidores do HU e respectivas salas de apoio.

No pavimento 01 do Bloco Central, foram implantados o CTI (32 leitos), as Unidades de Cuidados Intermediários Neonatal (15 berços) e de adultos (15 leitos), a Agência Transfusional, o Centro de Parto Normal (5 quartos), o Centro Obstétrico (3 salas de parto), o Centro Cirúrgico (9 salas cirúrgicas) e a Central de Materiais e Esterilização. O pavimento contará ainda com uma capela ecumênica, e o grande átrio com seu jardim terapêutico separando em duas alas (leste – oeste) o CTI, das demais atividades. Ainda no pavimento 01 do Bloco Central, encontramos o 3º Jardim Terapêutico, este destinado  esclusivamente aos pacientes e equipes do CTI. 

Seguindo na direção sul, o Bloco Central será interligado por uma grande circulação aos Blocos de apoio logístico (BL), direção administrativa (BD), ensino - auditório (BE) e de atendimento ambulatorial (BA).

No Bloco de apoio logístico (3.884,63 m²) foram implantadas a Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF), o Centro de Armazenagem e Distribuição de Materiais, os Serviço de Anatomia Patológica, Engenharia Clínica, oficinas de manutenção e o Necrotério. Possuirá frente com doca de descarga para a zona restrita de abastecimento e de acesso de funcionários, do lado leste do Hospital.

Externamente ao BL, de forma independente, foi implantado o prédio do depósito de resíduos de serviços de saúde.

O Prédio Administrativo (6.702,14 m²) abrigará em seus 3 pavimentos as Gerencias de Ensino, Assistencial, Administrativa e Superintendência, pois o HU será vinculado a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH do governo federal.

O Bloco de Ensino / Auditório (1.220,40 m²) será composto por 3 salões, cada um com capacidade para 100 ouvintes. Os salões serão separados por divisórias acústicas retráteis que, ao serem recolhidas, permitirão a ampliação da capacidade, unificando os salões para 200 ou 300 pessoas.

O Bloco de atendimento ambulatorial (7.762,31 m²) será constituído por edificação com 4 pavimentos (térreo + 3 pavimentos) e abrigará 85 consultórios, salas de procedimentos e medicação. Os consultórios de todos os pavimentos terão à disposição área multidisciplinar de ensino em sua retaguarda. 

No extremo sul do complexo hospitalar, ao lado do estacionamento, será construída a casa do estudante, que abrigará residentes e alunos das faculdades de ciências da saúde atuantes no hospital.

O complexo hospitalar foi implantado paralelo a Rodovia, criando a oportunidade de zoneamento do terreno com área de acesso público (clientes, usuários, pacientes, etc) entre a Rodovia e o Hospital, e outra zona de acesso restrito (funcionários, abastecimento e retirada de resíduos e cadáveres) em área posterior, à leste do hospital.  

Em ambas as zonas foram implantados estacionamentos para veículos (automóveis e motocicletas) que totalizam 1538 vagas.