HOSPITAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO - HUMT

Natureza do Empreendimento: Público Federal
Tipo de obra: Construção
Área de construção: 58.371m²
Endereço: 
Ano do projeto: 2021

A construção do novo Hospital da Universidade Federal de Mato Grosso é uma ação conjunta do Governo de Estado de Mato Grosso e da Universidade Federal de Mato Grosso. Possuirá 58.371 m² de área física, e será construído à margem da Rodovia MT 040, em terreno com aproximadamente 1,2 milhões de metros quadrados.

Depois dos projetos dos HUs do Amazonas e Acre, este é o nosso 3º e maior projeto de Hospital Universitário Federal. Grande desafio realizado em 9 meses de trabalho intenso. Planejar um Hospital Universitário é uma tarefa ainda mais complexa quando se deve projetar esse hospital sobre uma malha de fundações e edificações parcialmente construídas por uma obra paralisada e abandonada há anos.

O Estado de Mato Grosso, em parceria com a UFMT, escolheu o Regime Diferenciado de Contratação Integrada (RDCI), para contratação da construção. Neste regime, o custo da obra é definido antes da elaboração dos projetos executivos de arquitetura e engenharia. Dentro desta realidade, desenvolver um projeto de arquitetura em um processo de RDCI, estabelece, através do investimento previamente definido, limites para as proposições arquitetônicas.

Contudo, a Construtora Jotaele (JL) na medida do possível, e da limitação orçamentária, nos deu liberdade para propor um novo e moderno hospital.

Nas imagens que serão divulgadas do Hospital Universitário, poderão ser observados os 3 Jardins Terapêuticos, fruto da liberdade oferecida pela Construtora, e muito bem aceitos pelo Governo de Mato Grosso e UFMT.

Os Jardins Terapêuticos têm por objetivo criar estímulos positivos, através da percepção sensorial de cada paciente (e funcionário), para manutenção, promoção ou recuperação de sua saúde.  Esse fenômeno ocorre quando pacientes internados, e algum tempo afastados de suas realidades, reencontram em um ambiente que lhes é familiar, neste caso o jardim, a conexão com suas próprias vidas ou com a vida que desejam fora do hospital, criando estímulos psicológicos e fisiológicos benéficos, que consequentemente ajudam no processo de sua recuperação.

Funcionários também serão beneficiados pelos estímulos oferecidos pelos jardins. Não podemos esquecer que o nível de estresse entre os profissionais de saúde aumenta na medida em que são mais requisitados ou que são expostos às frustrações diárias de suas responsabilidades assistenciais.

Os jardins serão oferecidos a pacientes e funcionários do hospital em 3 locais. Centro de Terapia Intensiva (UTIs de adultos, infantil e neonatal), prédio da hotelaria e jardim do grande átrio, que é também o eixo de circulação que corta longitudinalmente o hospital.

O átrio, além de abrigar o jardim em seu pavimento superior, será responsável pela interligação dos vários blocos do complexo hospitalar. Implantado na direção norte-sul, ligará o Bloco da Hotelaria (norte do complexo hospitalar) ao Bloco do Ambulatório localizado a sul do hospital.

O Bloco da Hotelaria (14.159,72 m²) abrigará 224 pacientes em apartamentos ou enfermarias distribuídos em 4 pavimentos de internação. No pavimento 01, responsável pela internação pediátrica, encontramos o primeiro jardim terapêutico reservado para uso dos pacientes infantis. Através de passarela aérea, no mesmo pavimento, encontramos a interligação com o Bloco Central onde chegamos ao grande átrio, local do segundo jardim terapêutico, este reservado para pacientes adultos do BH.  

O pavimento térreo do BH, por sua vez, abrigará o Serviço de Nutrição e Dietética (inclusive produção de nutrição enteral), o Refeitório (geral), o Banco de Leite Humano, o Lactário, e o Serviço de Processamento de Roupas. Externamente e à frente do BH haverá uma grande via de acesso coberta, que permitirá acesso também ao Bloco Central.

O Bloco Central (23.381.48 m²) será a maior edificação do Hospital Universitário. Abrigará os prontos atendimentos, serviços terapêuticos, diagnósticos e o Centro de Simulação Profissional.

Neste Bloco, além dos prontos atendimentos (obstétrico, adultos e pediátrico) e do Centro de Simulação Profissional no pavimento térreo, foram implantados o Banco de Sangue, os Serviços de Patologia Clínica, Quimioterapia, Hemodinâmica, Radiologia, Imagenologia, Diagnósticos por Métodos Gráficos e Farmácia.

O Centro de Simulação Profissional possuirá salas de treinamentos que reproduzirão o ambiente físico assistencial (consultório, enfermaria, uti, centro cirúrgico, e outros) e suas instalações, com o objetivo de simular as atividades e práticas profissionais a alunos, para desenvolvimento de habilidades motoras, psicológicas, cognitivas e decisórias.   

Ainda no pavimento térreo, será instalado o Centro de Controle Operacional do HU. Esse Centro será responsável pelo monitoramento de todos os sistemas de fornecimento de insumos (energia, água, gases, combustíveis), controle de acessos e de presença, de câmeras de vigilância, de alarmes de segurança, de equipamentos prediais (ar-condicionado, geradores de energia, nobreaks, elevadores). Neste local será instalado também a sala cofre para abrigo dos servidores do HU e respectivas salas de apoio.

No pavimento 01 do Bloco Central, foram implantados o CTI, as Unidades de Cuidados Intermediários Neonatal, a Agência Transfusional, o Centro de Parto Normal, o Centro Obstétrico, o Centro Cirúrgico e a Central de Materiais e Esterilização. O pavimento contará ainda com uma capela ecumênica, e o grande átrio com seu jardim terapêutico separando em duas alas (leste – oeste) o CTI, das demais atividades.

Seguindo na direção sul, o Bloco Central será interligado por uma grande circulação que dá continuidade ao átrio, aos Blocos de apoio logístico (BL), direção administrativa (BD), ensino - auditório (BE) e de atendimento ambulatorial (BA).

No Bloco de apoio logístico (3.884,63 m²) foram implantadas a Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF), o Centro de Armazenagem e Distribuição de Materiais, os Serviço de Anatomia Patológica, Engenharia Clínica, oficinas de manutenção e o Necrotério. Possuirá frente com doca de descarga para a zona restrita de abastecimento e de acesso de funcionários, do lado leste do Hospital.

Externamente ao BL, de forma independente, foi implantado o prédio do depósito de resíduos de serviços de saúde.

O Prédio Administrativo (6.702,14 m²) abrigará em seus 3 pavimentos as Gerencias de Ensino, Assistencial e Administrativa.

O Bloco de Ensino / Auditório (1.220,40 m²) será composto por 3 salões, cada um com capacidade para 100 ouvintes. Os salões serão separados por divisórias acústicas retráteis que, ao serem recolhidas, permitirão a ampliação da capacidade dos salões para 200 ou 300 pessoas.

 

O Bloco de atendimento ambulatorial (7.762,31 m²) será constituído por edificação com 4 pavimentos (térreo + 3 pavimentos) e abrigará 85 consultórios, salas de procedimentos e medicação.

No extremo sul do complexo hospitalar, ao lado do estacionamento, será construída a casa do estudante, que abrigará residentes e alunos das faculdades de ciências da saúde atuantes no hospital.

O complexo hospitalar foi implantado paralelo a Rodovia, criando a oportunidade de zoneamento do terreno com área de acesso público (clientes, usuários, pacientes, etc) entre a Rodovia e o Hospital, e outra zona de acesso restrito (funcionários, abastecimento e retirada de resíduos e cadáveres) em área posterior, à leste do hospital.  

Em ambas as zonas foram implantados estacionamentos para veículos (automóveis e motocicletas) que totalizam 1710 vagas. Na zona de acesso restrito haverá também pátios para descarga de insumos e manobra de caminhões de abastecimento.

UFMT.png
AÉREA 2.png

No prédio hospitalar, o átrio será o espaço responsável pela recepção, acolhimento e integração de usuários. Em sua área, além da grande recepção para usuários, serão implantados loja de conveniências, brinquedoteca, caixas bancários e acesso a lanchonete e refeitório. Voltados ainda para o átrio, no nível térreo, estarão disponíveis os acessos aos dois blocos que serão construídos na primeira etapa de obra onde serão instalados o centro de diagnóstico, os serviços terapêuticos, internação com 200 leitos (40 de UTI) e o centro cirúrgico. Aos dois blocos hospitalares, será interligado a oeste em segunda etapa de obra, o terceiro bloco que ampliará o centro de diagnóstico com equipamentos de alta complexidade e mais 120 leitos de internação.

O prédio do Ambulatório também foi concebido para ser construído em duas etapas e ter funcionamento autônomo. Terá 60 consultórios, áreas de medicação e apartamentos para internação de curta permanência.

Os serviços de apoio, em sua maioria, serão implantados na zona de abastecimento em prédios localizados na retaguarda dos prédios assistenciais. Paralelo e ao longo do bloco hospitalar, de forma a atender as demandas dos serviços de saúde, estarão abrigadas as unidades funcionais de farmácia, nutrição, armazenagem e distribuição de materiais, processamento de roupas, manutenção, tratamento e depósito de resíduos sólidos. Ainda nestes prédios encontraremos o serviço de anatomia patológica e necrotério.